Sigo palavras e busco estrelas.

Posts com tag “abraço

TeRaPiA dO aBrAçO

“Quando nos abraçamos, nossos corações se conectam e entendemos que não somos seres separados. Abraçar em plena consciência pode trazer-nos cura, reconciliação, entendimento e muita felicidade. A prática da meditação do abraço tem ajudado muitas pessoas a se reconciliarem – pais e filhos, amigos, casais, etc. Podemos praticar a meditação do abraço com um amigo, nossa filha, nosso pai, nosso parceiro ou mesmo com uma árvore. Para praticar, primeiro fazemos uma reverência com as palmas das mãos unidas, reconhecendo a presença um do outro. Podemos desfrutar de três respirações profundas em plena consciência, para nos sentirmos inteiramente presentes, e só então abrimos os braços e nos abraçamos. Mantemos o abraço por outras três respirações. Na primeira respiração, estamos conscientes de estarmos presentes naquele exato momento, e sentimo-nos felizes. Na segunda respiração, estamos conscientes de que a outra pessoa está presente naquele momento, e sentimos felicidade. Com a terceira respiração, estamos conscientes de estarmos juntos, aqui e agora neste planeta, e sentimos profunda gratidão e alegria pela nossa união. Então, podemos gentilmente liberar a outra pessoa, fazendo uma reverência mútua para demonstrarmos nosso agradecimento. Quando nos abraçamos dessa maneira, a outra pessoa se torna real, verdadeiramente viva. Não precisamos esperar até que alguém esteja prestes a viajar, podemos nos abraçar agora mesmo e receber o calor e a estabilidade do nosso amigo, neste presente momento. Abraçar pode ser uma prática profunda de reconciliação. Durante o abraço em silêncio, uma mensagem torna-se bastante clara: “Querido, querida, você é precioso para mim. Sinto não ter sido bastante atencioso e compreensivo. Cometi erros. Por favor permita-me começar de novo. Eu te prometo.”


LeMbRaR cOm AmOr

Lembrar com amor é oferecer, no coração, um sorriso que se expande. É um jeito instantâneo e poderoso de prece. É um modo de abraço, não importa o aparente tamanho da distância, nem as enganosas cercas do tempo. Lembrar com amor é levar a vida, no exato instante da lembrança, ao lugar onde a outra vida está e plantar uma nova muda de ternura por lá. E essa plantinha é pra ti Paulo! 😉

Ana Jácomo

Amor por Tiago Cadena


AcOnChEgO

Por Ana Jácomo

Que vontade a gente sente um monte de vezes de ir lá pertinho do ponto exato onde mais dói alguém que amamos e soprar a tal dor para um lugar onde ela não machuque mais ninguém.
Como não podemos, abraçamos, que o abraço é também um jeito de dizer: “vai passar, está passando; eu estou aqui com você.”

SoBrE o AbRaÇo

Por Ana Jácomo

“O pai pega a menina no colo e os dois se abraçam. Observo, sentada próxima à mesa onde estão. Coisa bem bolada essa dos braços se encaixarem. Uma possibilidade tão perfeita que parece que já foram imaginados também com esse propósito. Mas o melhor do abraço não é a ideia dos braços facilitarem o encontro dos corpos. O melhor do abraço é a sutileza dele. A mística dele. A poesia. O segredo de literalmente aproximar um coração do outro para conversarem no silêncio que dá descanso à palavra. O silêncio onde tudo é dito sem que nenhuma letra precise se juntar à outra. O melhor do abraço é o charme de fazer com que a eternidade caiba em segundos. A mágica de possibilitar que duas pessoas visitem o céu no mesmo instante.
A menina e o pai se abraçam. Nenhum dos dois percebe que o meu olhar filma a cena. É bom sinal que não percebam, porque no abraço bem fruído as duas vidas se ocupam de contemplar somente a paisagem que compartilham. Os olhos se tornam surdos para qualquer registro que esteja fora do ambiente construído. Talvez seja por isso que costumamos fechar os olhos quando abraçamos: para abri-los para dentro. Quando inclui o sentimento, o abraço é um portal que dá acesso às regiões mais arborizadas do coração da gente. Lá onde cantam passarinhos. Lá onde voam borboletas. Lá onde se respira grande sem ter a alma contraída. Lá onde experimentamos o amor ensolarado, por mais nuvens encharcadas de medo que também existam em nós.
A menina abraça o pai e repousa o rosto em seu ombro. Eu reparo a delicadeza com que ela o faz. Nada nela parece desejar retê-lo. Nada nela parece querer que aquele encontro dure mais do que o tempo que puder durar. Ela parece saber que o abraço não precisa ser demorado para ser longo. Se plenamente sentido, o seu efeito é duradouro. A energia que produz é capaz de circular por tempo indefinido nas vidas que o experimentam. E, depois, pode ser acionada a qualquer momento no lugar da memória onde são guardadas as belezas que não perdem o frescor.
A menina adormece abraçada ao pai. Ele se movimenta vagarosamente de um lado para o outro, sob o ritmo de uma música que somente ele ouve e que ela deve sentir em algum lugar do seu sonho. Ainda atenta ao espetáculo amoroso que assisto sem que ninguém perceba, curto a felicidade de não ter o coração curtido. De poder me aquietar para ouvir aquele poema escrito pelos gestos. Nem todos os abraços se transformam em sono e isso é tão verdadeiro quanto a constatação de que todos os genuínos oferecem repouso. Armam redes na alma da gente, onde as emoções se deitam e balançam aconchegadas. Não há lugar algum para onde ir enquanto acontecem. Apenas ficar ali, dentro deles, e dividir esse conforto.
Adormecida no abraço do pai, a menina o envolve com seus braços, dois pequenos laços de fita morenos. O abraço é também isso: um presente que duas vidas oferecem uma a outra e desembrulham juntas. Pago a conta e saio do restaurante. Tarde bonita, um bocado de sol ainda pousado na tranquilidade da Lagoa. Sigo em direção ao meu destino com o coração enternecido, sintonizada com a suavidade das lembranças afetivas que aquela cena trouxe à tona. E grata, muito grata, por num tempo de tantas feiúras, ainda ser capaz de admirar a beleza preciosa de um abraço de amor.”

CoNsTrUçÃo

Ao nascermos começamos nossa tarefa de crescimento. A própria natureza se incumbe de promover o crescimento. Da natureza, sábia, magnânima, é extraída a seiva da vida. O ar, o leite materno, as manifestações sentidas pelos corpos para a sobrevivência. A natureza faz a sua parte, oferecendo a alimentação para a vida. A criança cresce e não vemos o crescimento, só o sentimos e nos surpreendemos com o progresso, com o crescimento involuntário dos seres humanos. Pensem nas sementes. Como é possível? Mas tudo é possível pela grandiosidade dessa força imensurável, dessa energia poderosa proveniente do nosso Pai, do nosso Deus.

 Mas as coisas não podem correr aleatoriamente. Cabe aos pais ou a quem assumir a educação de uma criança cuidar do seu crescimento como ser humano. A construção de um caminho é delineada pelos adultos. É uma responsabilidade muito grande. Portanto, meus queridos, atenção para com as crianças.

Construção e reconstrução. Todo dia é dia de mudança. E hoje é dia. Reflitam sobre suas vidas. O que vêm construindo para seu engrandecimento pessoal? O que vêm construindo para o bem estar de suas famílias? E seus amigos? Têm procurado ouvi-los? Têm dado atenção a quem precisa? Qual a sua contribuição para a sociedade? Que partícula podem distribuir em favor do seu próximo? O questionamento é necessário. Indaguem seus corações, escutem as respostas de suas consciências e ajam! Não posterguem atitudes que só poderão beneficiá-los.

O conhecimento é adquirido. Há missionários que são encarregados desse conhecimento e os transmitem através dos livros. Sábios, filósofos, pregadores, em todas as épocas, deixaram suas mensagens que não eram só suas, e sim de Espíritos superiores que se serviram dessas pessoas privilegiadas que serviram de meio para as mensagens do Pai. Kardec foi o grande codificador das lições do livro sagrado. O Brasil é um celeiro desses espíritos de luz que tocam nossos corações. A vida de Chico Xavier, venerado por todos, é um exemplo vivo dessas manifestações. Só alguns são escolhidos para essa missão de construção de idéias, mas todos são aparelhos, com diferenças de atribuições. É preciso que dêem atenção à sua forma de mediunidade, ou mesmo à sua condição de ser humano. Uma palavra, um abraço, um livro podem soerguer uma pessoa.

Quando tudo lhes parece nublado, cheios de temores, sem perspectivas, experimentem a prece. Reconstruam suas vidas, estendam a mão a quem precisa. Olhem para dentro de si e promovam mudanças para que possam estar fortalecidos e continuar seu caminhar.

Francisco de Assis construiu mais do que igrejas, ele construiu, com seu exemplo, caminhos de luz e de amor para seus semelhantes. Foi ouvido e seguido.

Construam uma vida digna. Harmonizem-se com a natureza, harmonizem-se, em primeiro lugar, consigo mesmos.

Esqueçam suas amarguras, Transformem-nas em aprendizado e lembrem-se sempre que o objetivo é ser feliz. Muita paz. Ela é construída com suas atitudes diante dos acontecimentos, diante da vida.

Fiquem em paz. Solicitem a ajuda dos guias espirituais.